You are currently viewing Inteligência artificial e Pix: como o BC pretende implementar?

Inteligência artificial e Pix: como o BC pretende implementar?

O Pix, o sistema brasileiro de transferência instantânea, está em pleno funcionamento há 3 anos. Desde o seu lançamento, esse método de pagamento conquistou o favor dos brasileiros, destacando-se por sua segurança, funcionalidade, rapidez e eficiência. O Pix não apenas se tornou o número 1 em transferências, mas também ocupa uma posição privilegiada no cenário de pagamentos.

Amplamente aceito em diversos estabelecimentos, desde pequenas mercearias até grandes cassinos que aceitam Pix como forma de pagamento, a transferência instantânea agora faz parte da rotina diária de mais de 77% dos brasileiros maiores de 18 anos. Essa realidade é inegável. Portanto, tanto o Banco Central quanto outros bancos estão em constante busca por novas funcionalidades para aprimorar o sistema.

Atualmente, já foram implementadas diversas melhorias, mas o destaque do momento é a integração da inteligência artificial com o Pix. Você realmente sabe o que é IA? Vamos começar por aí.

O que é a Inteligência Artificial

A inteligência artificial é uma disciplina desenvolvida com o objetivo de “imitar” a inteligência humana. Ela busca emular um processo de “pensamento” mecânico que procura agir e pensar de maneira semelhante a nós, simplificando a vida de todos e automatizando muitos serviços que poderiam demandar algum esforço, mas que podem ser facilmente substituídos pela eficiência das máquinas.

Quando aliada a serviços eficazes, a inteligência artificial tem o potencial de proporcionar uma série de benefícios aos usuários. Desde atividades mais simples, como a substituição de atendimento ao cliente por meio de respostas pré-programadas (os conhecidos chatbots), até soluções financeiras, que é o foco a ser explorado agora.

A inteligência artificial pode tornar a vida mais simples e conveniente para todos, proporcionando facilidade e eliminando esforços desnecessários por meio de otimizações e automações. Vamos, então, explorar algumas das possíveis aplicações no contexto do Pix.

Como o Pix pode ser beneficiado pela IA

Explorando ideias, pensamentos e implementações, há muita discussão sobre a otimização do Pix através da inteligência artificial. Embora muitos acreditem que o Pix já seja perfeito e otimizado ao máximo, há diversos casos nos quais podemos considerar a aplicação da IA para ampliar ainda mais os benefícios do Pix. Vamos descobrir alguns deles:

Melhoria na educação financeira

Segundo o Banco Central, um dos grandes problemas atuais do brasileiro é a educação financeira. Apesar de ser necessário um bom investimento em educação para que isso se resolva de ver, podemos também ver alguma movimentação com relação à IA para fazer alguns movimentos “forçados” em direção a este conteúdo educacional. Usar a inteligência artificial para mostrar este caminho é um golpe de mestre, que facilita o acesso de todos e melhora os resultados sociais gerais.

Confirmação das transferências

Alguns bancos, como o Bradesco, buscam implementar a inteligência artificial em operações relacionadas à verificação de transferências. No contexto de confirmações, o banco utiliza a assistente virtual Bia, um chatbot que entra em contato com o usuário sempre que uma transferência suspeita é realizada. Por meio da Bia, é possível verificar e confirmar (ou negar) se a transação é legítima, se foi um erro ou se trata-se de uma possível fraude.

Transferência pelo Whatsapp

Além da etapa de confirmação, é viável realizar a própria transferência por meio do WhatsApp. A assistente Bia continua liderando os serviços, que mais uma vez são disponibilizados pelo banco Bradesco. A proposta aqui é realizar a transação simplesmente ao confirmar os dados essenciais, visando otimizar o tempo do usuário.

Segurança

Com toda essa sofisticação, quem mais se beneficia é a segurança das transações. Elas passam a ser confirmadas com um nível maior de garantias, incorporando senhas e reconhecimento facial para assegurar que a operação seja realizada de maneira legítima. São diversas abordagens para garantir que o usuário e seu dinheiro estejam protegidos, todas projetadas de modo que a inteligência artificial assuma o controle sem a necessidade de muitas intervenções humanas, pelo menos em grande parte.

Como o Banco Central se posiciona diante da inteligência artificial

Para o Banco Central, a implementação de inteligência artificial nos serviços oferecidos pelo Pix é uma opção bastante intrigante. A ideia central é elevar a importância de um serviço que já se destaca por sua relevância e eficiência para os brasileiros.

A expectativa é que a segurança seja significativamente reforçada com a incorporação da inteligência artificial, uma preocupação válida para o Banco Central, dado o crescimento exponencial no número de transações. A proposta é que a IA seja capaz de identificar atividades suspeitas e prevenir fraudes em tempo real, tornando o sistema resistente a circunstâncias fraudulentas.

Outra expectativa do Banco Central é o aproveitamento dos dados que a inteligência artificial pode analisar. A coleta de informações é um passo crucial, pois permite compreender as tendências em curso e, assim, implementar as melhorias necessárias.

O futuro da união do Pix com a IA

A proposta de integrar o Pix com a inteligência artificial visa transformar algo já eficiente em algo verdadeiramente surpreendente. Agora, temos a agilidade das transferências instantâneas combinada com todo o potencial de um sistema de inteligência incomparável. O resultado desse casamento promete ser intenso, oferecendo segurança, rapidez e uma série de conveniências.

A incorporação da inteligência artificial no desenvolvimento do Pix deve ser realizada com responsabilidade, lembrando sempre que a segurança não pode ser comprometida. Na prática, já observamos movimentos nessa direção: as melhorias visam aprimorar a proteção dos usuários, e qualquer evolução está alinhada com essa consideração. A cautela não deve ser dispensada em prol de qualquer outro recurso que possa ser adicionado ao serviço.

A união do Pix com a inteligência artificial abre as portas para um caminho novo, mais moderno e repleto de possibilidades inovadoras. Isso significa que o Brasil está prestes a vivenciar uma revolução ainda maior em seus métodos de pagamento, e esse progresso deve ocorrer de maneira segura e eficiente.

Antonio Pereira

Antonio Pereira é um profissional experiente, com mais de uma década de experiência no dinâmico setor de cassinos. Como especialista em conteúdo, ele aprimorou suas habilidades em uma gama diversificada de funções, contribuindo significativamente para o crescimento e a inovação do setor. O amplo conhecimento de Antonio abrange várias facetas do mundo dos cassinos, desde estratégias de jogos até tendências do setor. Com um histórico comprovado de mais de 10 anos, ele continua a ser um ativo valioso, oferecendo insights que combinam um profundo entendimento do negócio com uma paixão por impulsionar a excelência no setor de cassinos.